Parlamentares querem inclusão imediata de Bolsonaro no inquérito dos atos terroristas

Data da postagem: 11/01/2023

Parlamentares querem inclusão imediata de Bolsonaro no inquérito dos atos terroristas

Enquanto seus apoiadores planejam nova onda de terror, derrotado nas urnas compartilha publicação questionando a vitória do presidente Lula, que segundo ele foi “eleito pelo STF e TSE”. E apagou depois que seu recado foi disseminado

Por Redação RBA

Publicado 11/01/2023 - 13h21

Reprodução/Faceboo

Humberto Costa: É urgente que Bolsonaro seja levado às barras da Justiça para responder pelos incontáveis e continuados crimes que vem cometendo contra o Estado


São Paulo – Parlamentares defendem a inclusão imediata do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) nas investigações sobre os atos terroristas em Brasília no último domingo (8). Da Flórida, nos Estados Unidos, para onde viajou em 30 de dezembro, Bolsonaro voltou a atiçar seus apoiadores, que planejam nova onda de terror.

Na noite de ontem (11), ele compartilhou publicação em que voltou a questionar a vitória do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). E apagou depois, quando o recado já havia atingido o objetivo. Bolsonaro reproduziu um vídeo em que o procurador bolsonarista Felipe Gimenez diz que “Lula não foi eleito, mas escolhido pelo STF e TSE”.


Por meio de rede social, o presidente da Comissão de Direitos Humanos do Senado, Humberto Costa (PT-PE), pediu que a Justiça apure o envolvimento. “Não há dúvida de que Bolsonaro é o maior responsável por todos os ataques virulentos que a democracia brasileira vem sofrendo. É urgente que ele seja levado às barras da Justiça para que responda pelos incontáveis e continuados crimes que vem cometendo contra o Estado de Direito.”

‘Inaceitável Bolsonaro continuar incitando ataques’

Outro parlamentar que também se levantou por medidas urgentes foi o deputado estadual Guilherme Cortez (Psol-SP), que criticou a postura de Bolsonaro e cobrou medidas. “Depois dos atos terroristas, é INACEITÁVEL que Bolsonaro continue fazendo postagens com alusões criminosas aos Tribunais Superiores e que incitam seus seguidores a cometer atentados contra a democracia. Sua inclusão no inquérito dos atos antidemocráticos não pode mais esperar!”, registrou.


A postagem de Bolsonaro, dois dias após os atos de terrorismo de bolsonaristas que destruíram o Palácio do Planalto, o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal, recebeu comentário do produtor de conteúdo Felipe Neto. “Jair Bolsonaro postou um vídeo em seu Facebook falando abertamente que Lula NÃO foi eleito pelo povo. Atacou diretamente o STF e o TSE. Já passou da hora…”, disse o influenciador digital, dirigindo-se diretamente ao ministro Alexandre de Moraes.


Redação: Cida de Oliveira – Edição: Helder Lima


TAGS:


Por Rede Brasil Atual